terça-feira, 16 de agosto de 2011

the end.. or not.

Tudo começou quando, teria reparado num rapaz moreno e de olhos verdes. Dependesse de quem estivesse comigo, todos diziam que ele não tirava os olhos de mim. E foi aí que tudo começou, num pequeno café, sempre àquelas horas..eu já sabia as horas de cor e invés de estar com atenção às aulas, estava ansiosa.. Contava os segundos e minutos para voltar a vê-lo. E ali estava, com os seus amigos, sempre tão bonito…passou-se dias e o que se mantinha eram os simples, mas tão intensos olhares! Como poderei esquecer de como tudo começou? Nunca. Passado quase um mês, estava no facebook e alguém teria posto conversa comigo. Era ele, era ele! Fiquei completamente paralisada. Não consegui reagir durante 5 minutos. Não dava para acreditar, era tão real, mas ao mesmo tempo parecia algo inexplicável! Trocámos números. Estava a chegar as festas da nossa terra. Quando recebia mensagens dele, saltava para o colo dos meus amigos, e gritava de felicidade e eles sem perceberem nada! Foi então, que me apercebi que me estava a apaixonar. Como foi possível, assim tão facilmente? Fascinada por tudo o que falávamos e ansiosa por esses dias. Porquê? Eu também não sei.. era a ansiedade de o ver, ansiedade de ver como ele reagiria(agora), quando me visse. Começaram as festas e como é que ele reagiu? Como eu desejava..super bem! Por tantos momentos senti-me tão intimidada, ele não parava de olhar para mim! Houve em certas alturas, que ele se punha de frente só para me ver! Chegava radiante a casa, já nem me reconhecia, a minha felicidade era tanta que tinha duvidas se mais um bocadinho cabia dentro de mim.. 4 dias passaram e já era de noite, fui para a festa, mas infelizmente não o via por lado nenhum, só via os amigos dele. Estava a ficar com um pressentimento muito mau. E como o coração nunca se engana, o menos esperado aconteceu, ele estava com uma rapariga. A única reacção que tive foi nunca ter parado de olhar para aquela imagem mesmo ali à minha frente. Ainda tive esperança de que fossem amigos, mas não.. de repente, ele beijou-a. E estiveram assim a noite toda. “o quê? como pode ser? O que ele queria de mim, afinal? Isto tem que ter uma explicação!”, pensava eu. Fui para casa de rastos mas sempre com uma mascara. A mascara  dos sorrisos, conhecem? foi essa que usei nessa noite..
Dia seguinte: “olá” , disse-me ele.
Eu nem tive escolha, respondi-lhe para ver se ele iria dizer algo relacionado com aquela noite. E continuou a conversa..
- olá
-olá (eu)
- nunca mais me falaste
- tu também não.
- desde aquele bar que nunca mais te vi
- impossível, tu viste-me na largada.
- estou a confundir
- pois, acontece.
- já vi que estas chateada comigo
- não. Porque haveria de estar chateada contigo?
- porque se calhar viste-me com uma rapariga
E pronto, foi ao assunto que eu mais esperava!  Pediu-me desculpa, 7 vezes! Mostrou-se mesmo arrependido até ter dito: “és 5 estrelas!  Eras quem eu escolheria para ter ao meu lado” disse-me mil e uma coisas fantásticas depois de me ter explicado o que se tinha passado! Assim reparei que aquilo para ele não teria significado nada e o que ele queria era ficar bem comigo. Voltámos ao que éramos, agora cada vez melhor! Mas… os dias foram passando e iriamo-nos esquecer um do outro. Errado! Eu não esqueci, ele me ia esquecendo, isso sim… as palavras foram deixadas pelo caminho e as saudades vieram quebrar o meu coração. agora vejo coisas que não queria ver, oiço coisas que não queria ouvir. Será o amor assim? É possível ir embora, mas impossível de voltar? Tento encontrar a resposta para todas as perguntas, mas a resposta parece desaparecer no momento em que questiono.
“apaixonar-se facilmente?” claro! O coração não escolhe a hora, nem o lugar para um novo amor, uma nova paixão, muito menos escolhe a pessoa por quem nos apaixonamos.
“o amor, possível de ir e impossível de voltar?” não sei. Há casos e casos e o meu, parece não voltar. Sabem porquê? Porque o pior que me aconteceu, foi ter amado alguém que não me amava. Amar sem ser amado, é muito mau. Nunca tenham medo de expressar o que sentem, porque depois é mesmo “Tarde Demais”! Portanto, vou deixar-te livre, mas se houver o caso de quereres voltar, volta. Voltas para a rapariga que sempre te adorou. E se algum dia me perguntarem: quantos amores cabem no teu coração? Eu responderei: depende de quantas lágrimas caberão no meu rosto.  


                                                  Tudo o que mais queria era poder guardar o teu olhar, junto das coisas que me fazem lembrar de ti.

3 comentários:

  1. Se estiveres interessada de continuar a seguir o meu blog, faz um comentário no meu blog com o teu mail, vai começar a ser privado :) Beijinhos

    ResponderEliminar
  2. Sigo*

    http://soraia-omeudirio.blogspot.com/

    ResponderEliminar

dizes-me o que achas-te? : )